Facebook da MEF - Missao Esperanca e Fé
Twitter da MEF - Missao Esperanca e Fé
Google da MEF - Missao Esperanca e Fé

BLOG

HOME/Blog

09
dez
2016

“Israel vai cair dentro de dez anos”, ameaça comandante do exército iraniano

POR Abraão Medeiros
Compartilhe:

Esta não é a primeira ameaça iraniana à Israel. No ano passado, o líder supremo do Irã disse que seu governo tem o direito divino de aniquilar Israel.

1791817117-mohammad-reza-naqdi

Um comandante do exército iraniano afirmou que Israel será destruído em algum momento nos próximos dez anos, como resultado das novas revoluções islâmicas na região.

O general de brigada Mohammad Reza Naqdi fez essa declaração na última semana a um grupo de estudantes próximo a Teerã, capital do Irã.

Ele afirmou ainda que sua nação conseguiu expulsar os Estados Unidos do Irã, repelir Saddam Hussein e forçar a retirada americana do Líbano.

“Levo em conta estes resultados. A libertação da Palestina pela Revolução Islâmica não é improvável”, disse Naqdi, segundo informações da Fars — agência de notícias semi-oficial do Irã.

No início do mês, o general Naqdi previu que os Estados Unidos durariam por mais 20 anos e seu colapso foi acelerado com a eleição do presidente Donald Trump.

“De acordo com a análise feita pelos bastidores e decisores do estabelecimento nos Estados Unidos, a América entrará em colapso em 2035. Eu acho que é uma análise otimista, isso vai acontecer muito mais cedo”, disse o general.

Investidas

No ano passado, um representante oficial de Ali Khamenei, líder supremo do Irã, afirmou que seu governo tem o direito divino de aniquilar Israel. “O governo da República Islâmica do Irã tem permissão divina para destruir Israel”, disse Mojtaba Zolnour.

Ele acrescentou que a permissão é dada pelo “nobre Alcorão”, e alegou que “mesmo se o Irã desistir de seu programa nuclear, a determinação deste país para destruir Israel não vai enfraquecer.”

Em maio deste ano, o Irã testou com sucesso um míssil balístico de médio alcance. “Testamos um míssil com alcance de 2 mil quilômetros e margem de erro de oito metros há duas semanas. Uma margem de erro de oito metros significa total precisão”, disse o general Ali Abdollahi em uma conferência científica em Teerã.

O acordo nuclear , assinado no ano passado entre as potências mundiais e o Irã, não proíbe completamente os testes de mísseis balísticos, mas indica que eles não são “consistentes” com a resolução do Conselho de Segurança das Nações Unidas, de acordo com autoridades americanas.

“O Irã é chamado a não realizar nenhuma atividade relacionada a mísseis balísticos capazes de levar armas nucleares, incluindo lançamentos que utilizam a tecnologia de mísseis balísticos” até outubro de 2023, de acordo com o Conselho de Segurança da ONU.

Isso não impediu o Irã realizar uma série de testes com mísseis balísticos desde que o acordo nuclear foi adotado, em outubro de 2015.

O último lançamento foi realizado em março, quando o Irã testou dois mísseis balísticos contendo a frase “Israel deve ser varrido da Terra”, escrita em hebraico. De acordo com um comandante do país, o teste foi feito para mostrar que Israel está dentro do alcance dos mísseis iranianos.

Via: Portal Guia-me

CONFIRA NOSSOS EVENTOS

COMENTE

VEJA TAMBÉM

CONFIRA NOSSOS EVENTOS

Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com